Tolerância



Tolerância não é “engolir sapo”, mas manter bons sentimentos em qualquer circunstância. Sentimentos ruins drenam a minha energia e fecham o caminho de progresso à pessoa por quem estou tendo maus sentimentos. Bons sentimentos preservam a minha energia em nível elevado, e “empurram” a outra pessoa na direção do seu eu autêntico, que é necessariamente bom.
Por exemplo, se tenho uma responsabilidade profissional, preciso assegurar que as coisas sejam bem feitas na tarefa que me coube supervisionar. Num caso extremo, posso até precisar descontinuar a participação de alguém na equipe. Mas posso fazê-lo de duas maneiras: com raiva ou mantendo bons sentimentos. No primeiro caso, estou confundindo a pessoa com o comportamento, e crio um rótulo, como “ele é incompetente, ou desonesto, etc.”. Sinto-me muito mal e desenergizado, e a outra pessoa, se “é”... não tem o que fazer. “É” significa um estado permanente.

No segundo caso, sinto-me muito bem e preservo a minha energia. Não concordo com o comportamento, mas sei que a pessoa – simplesmente por ser uma pessoa – carrega dentro dela o potencial completo para viver com brilho. Posso dizer a ela: “Olha, você tem toda a condição de viver com brilho, nós somos pessoas completas internamente, você está se desperdiçando!” E com isso eu “empurro” a pessoa, meu irmão, na direção do seu eu verdadeiro. Se não agora, em algum momento ... a sementinha foi semeada!

Tolerância é um estado natural contínuo de conviver, somos irmãos entre nós e amigos da natureza.

Tolero realmente quando não percebo que estou tolerando.
É a minha natureza.
Fomos todos criados para brilhar.
SOMOS UMA GRANDE FAMÍLIA!

#EscolhaCalma
SHARE

Bruno Kaoss

Um apaixonado por todas as formas de expressões artísticas, em especial a Música. QUESTIONADOR... Adoro divulgar informações e promover debates sobre questões sociais, econômicas, políticas, ambientais e culturais.

  • Image
  • Image