Centro (política)


O Centrismo na política, dentro do conceito da existência de uma Esquerda e Direita (política), é a posição de quem se encontra no centro do espectro ideológico. Para alguns, há apenas duas posições políticas: a de esquerda e a de direita. Porém no conceito da existência de uma Esquerda e Direita política há a visão centrista, que é utilizada pelos moderados.

Um partido de centro não é nem capitalista extremado, nem comunista vigoroso, mas ele vê a necessidade de defender o capitalismo sem deixar de se preocupar com o lado social. Na visão da política de centro, não deve haver extremismos ou intransigências na sociedade .

Os seus principais valores são: antiextremismo sustentado pelo equilíbrio que cria a tolerância que defende a coexistência pacifica. Os políticos de centro são caracterizados como sendo mais conciliadores e mais tolerantes.

Os eleitores podem se identificar com centristas por uma série de razões, como por exemplo, o pragmatismo ideológico.

Também existem outras posições derivadas do centrismo, como a centro-esquerda e a centro-direita, mas, como os seus nomes indicam o primeiro pertence ao espectro da esquerda política e o segundo à direita política, ainda temos a extrema esquerda e a extrema direita, criando, por tanto, um leque de 5 ideologias políticas distintas.

Quando o assunto é política, sigo um pensamento da literatura de autoajuda que diz: "meu amor não será exclusivo, não amarei a direita nem odiarei a esquerda" - e isto me transforma no que chamam de "isentão" [como se isenção fosse ruim] ou em-cima-do-muro. Na verdade, o termo correto é centrista, aquela abominação que consegue atrair a ira de gregos e troianos, ser odiado e acusado pelos dois lados.

Veja meu caso. Já fui chamado de esquedopata por um amigo que é militar e tachado de direitocida por alguns militantes. O que significa que, até na média, sou de centro.
O difícil é explicar isto para um extremista e sua visão binária de mundo, crente de que a virtude só existe entre os seus e de que todos devem ser divididos entre yin e yang.

Portanto, não importa se digo que sou de centro, haverá sempre alguém disposto a me desmentir. Acho que é mais fácil me colocar no extremo oposto, para dar vazão e razão àquela ânsia de combatividade que os militantes têm.

Para afastar estereótipos, decidi fazer alguns testes que pudessem destrinchar o meu perfil ideológico, tendo em vista a ânsia SIMPLISTA, desnecessária, enfadonha e egoísta de pessoas que só enxerga um viés de tudo.

Bom, fiz os testes e nenhum deles foi determinante ou trouxe resultados iguais. Isto prova que minha posição política varia de acordo com a pauta e mostra que não sigo uma cartilha pré-definida de como devo pensar, ser ou agir.

Vejam o resultado de alguns testes que fiz:

----------------------------------------------------------------------------------------------------------


 ----------------------------------------------------------------------------------------------------------
----------------------------------------------------------------------------------------------------------




Dos 7 testes que fiz, 4 apontaram para mim com armas de calibre grosso que eu sou CENTRISTA. Bom, então acho que sou né? Ou não... Sei lá, rsrs

O certo é que sendo ou não do centro, isso jamais irá me limitar a pensar ou tomar alguma decisão embasada em preceitos ideológicos políticos e partidários, eu faço o que acho certo e sigo o meu coração S2  *.*

Se quiser, faça um dos testes clicando AQUI , AQUI, AQUI OU AQUI


SHARE

Bruno Kaoss

Um apaixonado por todas as formas de expressões artísticas, em especial a Música. QUESTIONADOR... Adoro divulgar informações e promover debates sobre questões sociais, econômicas, políticas, ambientais e culturais.

  • Image
  • Image