Desfazer-se do prejulgamento


Julgar é correto no sentido de avaliar: tenho de sentir o pulso do outro ao interagir ou pretender interagir com ele ou ela, avaliar as soluções possíveis para uma situação para escolher a melhor, etc.
Pré-julgar, não. Se identifico as pessoas por rótulos, estou errando multiplamente:
Pode ser que o meu julgamento esteja equivocado, sujeito a emoções que me distorcem a visão do outro. Pode ser que o outro tenha mudado.
Cada um de nós é muito mais que um rótulo, todos temos o potencial de sermos na prática seres completos, sem negatividades, e isso vai acontecer, a transformação acontecerá durante um período, pode ser que já tenha começado. 
Estou construindo, ou reforçando, barreiras, em vez de pontes. Estou criando mal estar para mim e dificultando o caminho de transformação do outro (mesmo pela simples vibração do pensamento).
Tendo todo o direito de ser precavido, mas não preconceituoso. Sem prejulgamentos, sinto-me melhor, beneficio-me e beneficio o mundo. 

#EscolhaCalma


SHARE

Bruno Kaoss

Um apaixonado por todas as formas de expressões artísticas, em especial a Música. QUESTIONADOR... Adoro divulgar informações e promover debates sobre questões sociais, econômicas, políticas, ambientais e culturais.

  • Image
  • Image