Jovem Cidadão Icoense é CENSURADO!!!


Quando criei o Icozeiro - Festival da Cultua Icoense em 2011, evento este onde vinha questionar e trazia duras críticas a falta de incentivo cultural em nossa cidade, eu fui modestamente questionado pelo poder público da época, acho que até eles mesmos sabiam que realmente não estavam fazendo o prometido para com a nossa cultura, e talvez por isso eu não fui sumariamente demitido, já que ocupava um cargo de coordenação na época, fato este que teria ocorrido em outros tempos, enfim, calaram e mesmo que não, eu não deixaria de fazer o Icozeiro, evento este já consolidado em nosso município.

Sempre foi muito difícil fazer o Icozeiro, mas este ano sofremos duras críticas dos gestores culturais do nosso município, falo da Secretaria da Cultura mesmo, o fato ocorreu devido a exposição de um grande artista da nossa cidade, o Chico Carneiro, e o motivo até hoje não foi devidamente explicado, talvez por que o gestor cultural não gostasse do trabalho, e claro que isso não seria de forma alguma motivo para a censura, eu acho, ou pelo menos não seria algo logicamente racional, ou seria? Ou será que esta aversão aos princípios éticos se deu por algum tipo de preconceito religioso ou sexual? Enfim... as velhas, ralas e mesquinhas desculpas de sempre, mesmo assim, entramos num acordo e realizamos o Icozeiro e a Exposição, e os dois foram um sucesso gigantesco.

Ano passado fiz uma postagem intitulada CENSURA É CRIME, questionando sobre acontecimentos verídicos sobre minha pessoa, quem quiser ler clique AQUI

Então, este mês me surpreendi com a verdadeira agressão ideológica de um suposto país igualitário e livre de preconceitos, devidamente enquadrado num estado laico, será mesmo?
O fato surpreendente e ao mesmo tempo previsível (contraditório) foi direcionado ao jovem estudante e artista icoense Calos Dias

Vamos ao texto do Carlos Dias:


Quanto mais se imagina que a nossa cidade caminha para o progresso, mais somos bombardeados por notícias totalmente opostas.

Além de sermos quase que privados de direitos básicos como saúde, educação, cultura, saneamento básico, dentre outros; ainda não podemos reclamar desta verdadeira baderna, que somos coibidos a aceitar por diversas causas. 

Aos que lutam pelo fim da desigualdade, da política do pão e circo e desta verdadeira palhaçada no nosso torrão, saberão agora de um fato de deixar qualquer “cidadão de verdade” indignado:

Aos que não sabem, eu, Carlos Dias, trabalho desde o ano passado como monitor da área de Jornal do programa “Mais Educação’’ do Governo Federal. 

O projeto foi implantado em escolas do município desde 2012. Neste período nunca tive problemas com cerceamento das minhas ações e opiniões fora de sala de aula, mesmo lutando pelos direitos de todos e contra a imundice da política geral da nossa cidade.

Eis que em um dia qualquer, cansado pela falta de ação da nossa Secretaria de Cultura por pura falta de competência e de vontade dos que, supostamente, detém o poder, faço uma postagem numa rede social:

‘’A Secretaria de cultura de Icó morreu?

Cadê o Teatro?

Cadê a música?

Cadê a poesia?

Cadê as artes plásticas?

Cadê o incentivo?

Cadê a vergonha na cara?

R.I.P ‘’

No mesmo dia da postagem [18/02], recebo uma ligação dizendo que uma funcionária de uma das secretarias do município quer falar comigo e prontamente confirmo o encontro. No outro dia recebo a notícia que uma pessoa ligada ao gabinete do prefeito pediu que: “eu não postasse mais esse tipo de coisa e que esta

foi uma postagem que supostamente denegriu a imagem da secretaria de cultura do município e já que o meu emprego tem intermédio da prefeitura eu devo sempre elogia-la. Como eu não faço isto deveria me calar”.

É isso mesmo leitores: EU FUI CENSURADO!

Censurado no meu direito de cobrar algo tão simples e tão valioso: cobrar por ações que promovam integração cultural a todos.

Um absurdo!

Mas, pergunto-lhes: eu realmente denegri a imagem da Secretaria? Ou isto é reflexo da própria ineficácia da mesma? Por que ao invés de censurar eles não procuram ouvir o cidadão? Enfim, estas são perguntas bastante pertinentes.

Então me ponho a imaginar:

Quantos são os que sabem da imundície que é a política na nossa cidade e não se manifestam por medo de perderem seus cargos? Meu Deus, que tragédia!

Se todos se manifestassem as coisas poderiam ser bem melhor! Mas pra estes é mais cômodo calar e se permitirem ser subjugados pelos gordos burgueses. Porém, eu não sou assim, não sou de acomodar-me.

Estou aqui para ser a mosca na sopa, a pedra no sapato. Não me calarei, não serei censurado e sempre lutarei pelos meus direitos e pelos direitos de todos.

Meu próprio papel como educador é este: conscientizar, mostrar a realidade. E mais ainda, como ser humano devo ter caráter, ser digno e justo, não vou deixar fatos tão terríveis passar na minha frente e ficar de braços cruzados.

Irei bradar aos quatro ventos dizendo “basta!” ao pão e circo, “basta!” a hipocrisia e “basta!” a censura!

Sou jovem, sou humano, sou competente, e não me submeto a isto!

Vamos à luta e viva a liberdade de expressão!


* Texto escrito e enviado pelo estudante Carlos Dias, monitor do programa "Mais Educação" do Governo Federal via Site Icó é Notícia
SHARE

Bruno Kaoss

Um apaixonado por todas as formas de expressões artísticas, em especial a Música. QUESTIONADOR... Adoro divulgar informações e promover debates sobre questões sociais, econômicas, políticas, ambientais e culturais.

  • Image
  • Image