Capitão Phillips


Como vocês foram de Carnaval? Bom, o meu não poderia ser diferente de todos os anos, família, comida, bebida e filmes, muitos filmes, ahhh séries também. Por tanto estou voltando com as postagens sobre filmes, minhas opiniões PESSOAIS e intransferíveis sobre filmes que vejo e sinto a necessidade de comentar, por tanto, se não gosta que se f%¨@$%@$#%

O filme de hoje será um novinho em folha, trata-se do CAPITÃO PHLLIPS com o mega ator Tom Hanks, só por isso já merece nota 10, mas como nem sempre um bom ator ajuda a deixar um filme bom, vamos as minhas singelas considerações, e lembrando, pra quem não vem acompanhando as postagens da TAG FilmeZ aqui no meu blog, saiba que eu to me lixando para a crítica especializada. Here go!!!!!!!

Quem acha que um filme de Oscar não pode ter ação, dinamismo, impacto e ao mesmo tempo ser simplista e denso pelo choque hierárquico entre culturas; sem aquela patriotada ridícula americana, com um único compromisso de retratar um conflito com uma boa dose adrenalina, deve assistir este excelente filme do especialista Paul Greengrass, que mais uma vez brilha numa direção engajada e cheia de qualidades que não apenas evidenciam situações mirabolantes, mas que nas mãos dele se tornam tão ou mais iradas do que um filme pirotécnico e arrasa quarteirão. Qualidade, simplicidade e competência são os ingredientes que ele articula na sua brilhante direção. Somando isso a uma boa interpretação de Hanks, que não visa o compromisso de trabalhar para um ganho pessoal, aqui - assim como o seu personagem - ele brilha na imensa ajuda que confere no enxuto roteiro e na veracidade da trama. Barkhad Abdi também dá o seu recado como o líder dos piratas, papel que lhe deu a honrosa indicação de Melhor Ator Coadjuvante (merecidamente).
Dos filmes indicados ao Oscar 2014 que assisti até agora, este, foi o que mais tive afinidade. Extraordinário como entretenimento, mas sem fugir do belíssimo roteiro.

Resuminho do filme:

Adaptado do livro escrito pelo próprio Richard Phillips, o roteiro de Billy Ray (“Jogos Vorazes” e “Plano de Voo”) aposta as fichas no tenso duelo entre o líder dos piratas e o capitão sequestrado. Porém, antes do encontro, a obra estabelece pequenos detalhes entre o tipo de vida levada por ambos, dando complexidade à história. O americano mora em uma bela casa com a família, está em boa forma física, possui um importante e respeitado emprego no navio, onde pode desfrutar da cabine individual, tomar um bom banho e comer na hora que der vontade. Já Muse (Barkhad Abdi) dorme no chão de um barraco em uma favela da Somália, tem roupas sujas, empoeiradas, o rosto marcado pelos traços de magreza e trabalha como pirata para repassar dinheiro à gangue local.
“Capitão Phillips”, se mostra mais do que um eficiente suspense montado com maestria por Christopher Rouse, parceiro de Greengrass desde “A Supremacia Bourne”. Em diversas tomadas, o diretor faz questão de mostrar o contraste entre o grande e milionário navio cargueiro sequestrado e a pequena lancha que transporta os piratas e, logo em seguida, o minúsculo barco contra as enormes embarcações da frota da Marinha dos EUA. Nestes trechos, fica clara a intenção de mostrar o poder americano perante os insignificantes africanos, sendo a violência a única forma de chamar a atenção para a tragédia humanitária ocorrida naquela parte do planeta.

FINAL DO FILME, LEIA SE QUISER

Esse filme é pra cara deixar qualquer um de olho arregalado, tenso é pouco, se você se envolver mesmo na história chega a apertar com força os braços da cadeira! É uma lição de moral também, o capitão pirata lá da Somália cresce o olho e se lasca no final, porra cara, o nêgão lá com 30 mil no bolso e ainda dava pra voltar pra casa com uma feira do mês todinha, mas ele num quis não, é uma praga mesmo! Faz um funaré danado pra nada. Ele podia ter comprado um terreninho na Somália e ganhar a vida vendendo frango, ou aberto uma boca de fumo ou mesmo um bar, mas nãoooo, ele deve ter pensado: “Sou matadô, sou caba homi”.  Daí ficou se achando e inventou de pedir 10 milhão...olha azideia. Acabou que o amigo dele estorou o pé todinho nuns cacos de VRIDO, ta aí. Daí deu um vacilo lá embaixo na sala das machines e pegaram ele...daí iriam trocar o capitão pelo ladrão chefe nêgão caveira e rolou um resenha lá que só sei que todo mundo ficou no bote salva-vidas.
Hoooomi...daí ficam numa putaria danada, mata, num mata, mata, num mata, me dê 10 milhão, mata, num mata, vai ficar tudo bem capitão, mata, num mata, e chega a marinha, a aeronáutica tu pra salvar a mizera do Phillips.
Só sei que quando tomaram a carta que ia deixar pra muié dizendo que ele tinha outra e tal o maluco pegou ar e desceu o cacete no negão irritadinho, mas depois ele tomou no cu por que levou logo um na costela pra ficar ligeiro e ficou mufino num canto.
Finalizando a parada, quando os nêgo colocou a cabeça na janela só REDIXOTI, morreram os nêgão. Daí salva o Phillips, todo ensanguentado. Mijado e cagado de medo. E pronto.
Fim :-)

FICHA TÉCNICA:

Título: Capitão Phillips (2013)
Título Original: Capitain Phillips
Elenco: Tom Hanks, Barkhad Abdi, entre outros...
Direção: Paul Greengrass
Nota Média da Crítica “Especializada”: 8,0
Minha Nota: 9,0
SHARE

Bruno Kaoss

Um apaixonado por todas as formas de expressões artísticas, em especial a Música. QUESTIONADOR... Adoro divulgar informações e promover debates sobre questões sociais, econômicas, políticas, ambientais e culturais.

  • Image
  • Image